domingo, 14 de dezembro de 2008

80 anos

É tão belo quando a sensibilidade resiste a vida adulta.
Quando as palavras soam tão suaves, tão puras, tão sensíveis aos acontecimentos, mesmo aos 80 anos de idade.
O seu corpo mostra a rigidez do tempo e as habilidades compostas por cada momento incessante na rotina de trabalho.
E a superação das dificuldades permanecem na expressão do rosto e no seu sorriso forte que atinge a minha admiração.
A sua sensibilidade remete às ações e emoções transmitidas ao falar dos entes queridos, familiares que não vê há muitos anos, ao agradecer a Deus.
E mesmo tendo tão pouco e mãos calejadas do trabalho duro de malear a natureza bruta para obter os meios de subsistência, eu vejo respeitosamente as pequenas gotas que inundam os seus olhos redondos e expressivos e as rugas que lhes cercam as diversas facetas de olhares que deve ter demonstrado durante esses 80 anos.
A sensibilidade está sempre presente na sua fala ao contar sobre os seus momentos afetivos com tantas pessoas que lhe são queridas.
Os seus dedos se movimentando levemente se entrelaçam com a voz relatando a história real de sua vida de luta e de amores.
Tanta coisa você me diz que aos 80 aos de idade me admira muito, a sua sensibilidade.

Um comentário:

stéphanie disse...

meu amor,
amei o texto.
voce ainda nao tinha dito que tinha feito um blog.
gostei mesmo!!!
to orgulhosa de voce!!
mudasse bastante e pra melhor,fico muitissimo feliz por isso!!!
te adoro!!